Por: Revista OI

Logo-Conte-pra-Gente-TextoFoi por meio de uma denúncia anônima que o Sindicato tomou conhecimento do acidente de trabalho que provocou a amputação das mãos do metalúrgico Ricardo César Coura, da Huffix. “Queria agradecer a pessoa que denunciou. Achei muito importante isso. Se não fosse essa pessoa, o Sindicato não teria como pedir a fiscalização”, agradeceu Ricardo.

O companheiro tem razão. Isto porque, em média, o Sindicato leva 25 dias para ficar sabendo de um acidente de trabalho, mesmo a Convenção Coletiva da categoria determinando o prazo máximo de 24 horas. Por isto que o Sindicato lançou a campanha “Conte pra Gente”, que incentiva os trabalhadores a denunciarem os acidentes de trabalho.

A iniciativa busca diminuir o tempo do processo da fiscalização, e mobiliza os metalúrgicos e os sensibiliza para a luta contra essa pratica da empresa, que não comunica os acidentes de trabalho. Se a informação leva 22 dias para chegar ao o Sindicato, para os órgãos responsáveis pela fiscalização ele demora mais ainda. Segundo pesquisa realizada pelo Sindicato, o resultado da fiscalização só é conhecido 195 dias após o acidente. No caso de Ricardo, a fiscalização demorou um pouco mais que a média para acontecer: 81 dias, quando a maioria acontece 80 dias depois do acidente.

A lentidão da fiscalização, e logo, no seu resultado, dificulta a cobrança de direitos por parte das vítimas e do Estado. “Sem o resultado da fiscalização, não há como o trabalhador ou seus familiares buscar seus direitos e também não tem como a Procuradoria Geral da União mover ações regressivas para ressarcir os gastos previdenciários”, explica o diretor do Sindicato Gilberto Almazan.

Para denunciar casos de acidentes de trabalho, o metalúrgico não precisa se identificar. Ela pode ser feita pelo telefone (11) 3651-7212 ou pelo e-mail [email protected].