Por: Revista OI

Mantida a média anual dos últimos três anos, em 2013, 700 mil trabalhadores brasileiros terão suas vidas atravessadas por uma máquina sem manutenção, um desvio de função, pela jornada excessiva e outros fatores que, em geral, são as causas dos acidentes de trabalho no Brasil.

Apenas em 2011, 711.164 trabalhadores sofreram acidentes de trabalho no país, de acordo com o levantamento da Previdência Social mais atualizado até o fechamento desta edição. Isso significa dizer que, a cada dia daquele ano, 81 trabalhadores tiveram o curso de suas vidas alterado por conta de um acidente de trabalho.

Do total, 14.811 ficaram com danos irreversíveis. Para 2.884 trabalhadores, a consequência do acidente foi a morte. É como se a cada 23 dias caísse um Airbus A320, mesmo modelo que causou a morte de 180 trabalhadores em 2007, em Congonhas (SP).

Todo esse quadro deixa clara a necessidade de a cada ano fazer do dia 28 de abril, Dia Mundial de Segurança e Saúde no Trabalho, um dia de luta pela prevenção aos acidentes de trabalho.

Em 2011

711.164 acidentes de trabalho
14.811 causaram danos irreversíveis
2.884 mortes
É como se cada 23 dias caísse um Airbus A320

 

A data

Historicamente, o dia 28 de abril marca a explosão de uma mina nos Estados Unidos que matou 78 trabalhadores, em 1969. A partir disso, o movimento sindical canadense iniciou uma luta para que a data não fosse esquecida e para que tragédias semelhantes fossem evitadas, o que se espalhou para diversos países, incluindo o Brasil.

Foi com base nessa mobilização que ano a ano a data passou a servir como marco para a luta dos trabalhadores em defesa da saúde e segurança dos trabalhadores, da denúncia de descasos, da prevenção de acidentes e em memória das vítimas.

Em 2003, a OIT (Organização Internacional do Trabalho) encampou a data em seu calendário. No Brasil, a data entrou para o calendário oficial a partir de 2005, com a lei 11.121, e vem se consolidando por meio de iniciativas do movimento sindical.

É sempre fundamental lembrar as vítimas, recorrer a denuncia dos descasos e, principalmente, cobrar que a conduta preventiva faça parte da conduta das empresas e do Estado.

Plano Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho

Em 2012, o governo federal lançou o Plano Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho, que reuniu demandas de diversos setores sociais para enfrentar os acidentes de trabalho.